quarta-feira, 25 de março de 2015

O que é a Constelação Sistêmica / Familiar?

A Constelação Familiar é um método de ajuda baseado nas descobertas do filósofo alemão Bert Hellinger. Ele permite localizar e remover bloqueios do fluxo emocional que geram dificuldades pessoais, assim como problemas de relacionamentos. Hellinger observou através de diversas formas de psicoterapia familiar que padrões de comportamento podem se repetir nas famílias e nos grupos familiares ao longo de gerações e ainda, muitos problemas, dificuldades e mesmo doenças de seus clientes estavam ligadas a destinos de membros anteriores de seu grupo familiar.
Observando as relações afetivas dentro dos sistemas familiares, constatou que o comportamento humano é regido por três leis naturais, que são também chamadas das três “leis do amor”: Lei da hierarquia (estabelecida pela ordem de chegada) – Lei do pertencimento (estabelecido pelo vínculo) e Lei do Equilíbrio (estabelecido pelo dar e receber). Quando essas leis são violadas surgem compensações, que se manifestam como depressões, doenças, problemas de relacionamento, dificuldades financeiras. Questões que podem ser representadas através das constelações e deixam claro para o cliente, para onde ele está olhando. Assim, ele pode dar o primeiro passo para reequilibrar o seu sistema e solucionar a questão que o incomoda.
O nome Constelação Familiar veio com a tradução do primeiro livro de Bert Hellinger do inglês para o português, a tradução literal do trabalho é “Colocação Familiar”, onde os elementos são posicionados numa certa configuração de relações. Portanto a abordagem não tem relação com esoterismo ou astrologia e também não está ligada a nenhuma religião ou credo. É uma abordagem empírica baseada na própria percepção do cliente e dos representantes.

Método

A Constelação Familiar consiste em um método no qual um cliente apresenta um tema de trabalho, que pode ser uma sensação, um problema de relacionamento e até mesmo uma doença. O terapeuta solicita algumas informações sobre o sistema familiar e pode desenvolver a constelação de forma individual, com o auxílio de bonecos ou figuras, que representem os membros da família ou do grupo social do cliente.
O método é desenvolvido também por meio de grupos terapêuticos, onde o cliente escolhe uma pessoa que será seu representante e outras para representarem membros de sua família. Em seu trabalho, Hellinger observou que uma pessoa estranha, convocada a representar um membro da família do cliente, passa a se sentir exatamente como a pessoa a qual representa, às vezes reproduzindo, de forma exata, sintomas físicos da pessoa que representa, mesmo sem saber nada a respeito dela.
Em seguida, guiado pelas reações desses representantes, pelo conhecimento das “leis do amor" e pela sua conexão com o sistema familiar do cliente, o terapeuta conduz, quando possível, os representantes até uma imagem de solução onde todos os membros tenham um lugar e se sintam bem dentro do sistema familiar. Essa reorganização do sistema permite a solução do problema apresentado. Mas é importante deixar claro que a constelação, em muitos casos, não significa a solução imediata do tema abordado pelo cliente, e sim o início de um processo que tem grandes possibilidades de ser bem sucedido.

As Constelações Familiares se encontram baseadas na constatação de que estamos ligados ao nosso sistema familiar, um vínculo forte de pertencimento ao nosso sangue que provoca dinâmicas inconscientes as quais passamos a viver como se fossem destinos a cumprir. Para podermos pertencer, assumimos destinos de gerações anteriores e só conseguimos perceber isso nos sofrimentos vividos, nas doenças e aflições que se mostram em nosso cotidiano. O trabalho do constelador é harmonizar as conexões multigeracionais redirecionando o cliente para a paz em sua alma.